Sindicato enfrenta impasses para acordo coletivo

Nova reunião nesta sexta-feira, dia 28, deverá ter avanços no dissídio 2018

Após quatro rodadas de negociação sem que houvesse acordo, o Sindicato dos Sapateiros de Parobé se reunirá e mais uma vez nesta semana com os empregadores da indústria calçadista.

Neste ano, a entidade que representa a categoria pede o reajuste de 3,61%, conforme a inflação, além do aumento real de 5%. Também estão em jogo, cláusulas importantes da convenção coletiva, como por exemplo, o intervalo de almoço.

“Como agora vale o acordado sob o legislado, o empregador tem mais força na hora de negociar. Como representantes do povo trabalhador, que enfrenta dificuldades diárias em seus postos de trabalho, nós estamos tentando manter estas cláusulas sociais e garantir que outras sejam inclusas”, explica o secretário da entidade, Sandro Fagundes.

Para o presidente da diretoria, João Pires, este é o ponto em que a participação e mobilização do trabalhador torna-se imprescindível. “A categoria precisa estar fortalecida. Nós perdemos muito com a aprovação da reforma trabalhista, e a convenção coletiva tornou-se ainda mais importante. Precisamos que todos acompanhem nosso trabalho e se mobilizem em seus postos de trabalho”, afirma.

Além disso, Pires salienta que a entidade poderá solicitar mediação do Ministério do Trabalho em uma próxima reunião. “Esperamos avançar nesta semana, mas estamos sim estudando a possibilidade de auxílio de representantes do ministério do trabalho, pois queremos uma definição justa para ambos os lados”, finaliza. O encontro entre as entidades acontece na sexta-feira, dia 28, a partir das 13 horas.

 

Diretoria da entidade pede o apoio e mobilização do trabalhador para dar continuidade às negociações

Diretoria da entidade pede o apoio e mobilização do trabalhador para dar continuidade às negociações

Créditos: Divulgação/Sindicato dos Sapateiros

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *