Diretoria alerta sobre troca de feriado na indústria

Sem convenção coletiva em vigor, entidade não pode homologar troca

Com a proximidade de mais um feriado nesta semana, o Sindicato dos Sapateiros de Parobé acompanha a situação dos trabalhadores do município. Como ainda não houve acordo coletivo para o dissídio 2018/2019, não há convenção em vigor que permite a homologação da troca de feriado nas empresas de calçado.

A data base de validade da convenção encerrou em agosto, que definia as cláusulas desta e de outras situações como banco de horas e acordos individuais, entre outras. Diante desta situação, o vice-presidente do Sindicato, Gaspar de Mello Nehering, explica que a entidade propôs uma alternativa aos empresários para realizar a troca de feriado.

Segundo Nehering, é possível que os patrões e trabalhadores realizem uma assembleia dentro da fábrica, possibilitando que os funcionários votem “sim” ou “não”. Para que esta escolha seja válida, é preciso que haja 2/3 de votos para a alternativa vencedora. Desta forma é possível que a troca seja realizada dentro das determinações previstas em Lei.

“Algumas empresas já adotaram este método, mas outras estão com dificuldade de entender. Não podemos aceitar que alguns departamentos de algumas empresas, acabem disseminando erroneamente a ideia de que é o Sindicato que quer evitar a troca de feriado. Isto é uma inverdade”, destaca.

O sindicalista também salienta que a entidade está à disposição para que tanto o trabalhador quanto o empregador possam tirar dúvidas e buscar esclarecimentos a respeito desta situação. “Trabalhamos sempre com o que é legal e de direito. Estamos sempre à serviço dos trabalhadores”, finaliza.

Sindicato propôs uma alternativa para que empresas possam fazer a troca de feriado, já que não há convenção em vigor


Créditos: Divulgação/Sindicato dos Sapateiros

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *