20º Congresso da CNTI aponta rumos para o sindicalismo brasileiro

Centenas de sindicalistas de todos Estados da Federação participaram do 20º Congresso Nacional do setor do Vestuário e Calçados da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria (CNTI), realizado na última semana em Luziânia (GO). Durante o evento, o presidente do Sindicato dos Sapateiros de Parobé e Coordenador do Congresso, João Nadir Pires, assumiu a Secretaria Nacional do Departamento do Calçado e Vestuário do Plano da CNTI (Depavest).

O Rio Grande do Sul esteve representado por delegações dos sindicatos do setor de couro e calçados dos municípios de Parobé, Taquara, Três Coroas, Gramado, Estância Velha, Santo Antônio da Patrulha, Santa Clara do Sul, Santa Maria do Herval, São Sebastião do Caí, Farroupilha e Roca Sales.

Durante os quatro dias do evento foram debatidas a nova realidade do sindicalismo nacional, as perdas de direitos dos trabalhadores a partir da aprovação da Reforma Trabalhista e da Terceirização, e o projeto de Reforma da Previdência. Os participantes acompanharam palestras com procuradores, juízes do trabalho, pesquisadores, advogados e especialistas em conjuntura econômica e política.

Apresentaram estudos do cenário nacional, durante o Congresso, o Analista do DIAP (Diesse), André Santos;  o Juiz do Trabalho e professor do INESC, José Antônio Moroni;  o Procurador do Trabalho e Coordenador Acadêmico da EXCOLA, Gerson Marques; a Economista e Pesquisadora da Fundação Friedrich Ebert, Marilane Teixeira; a Advogada e Especialista em Direito Público, Naiara Freitas, entre outros.

Novas estratégias

A necessidade de uma reforma tributária que desonere a renda e o consumo e incida mais sobre lucros, grandes fortunas e capital especulativo, para que se alcance o equilíbrio das contas públicas e a melhoria da vida do trabalhador de baixa renda, foi um dos centros do debate.  Os desafios da ação sindical e a necessidade de novas estratégias comuns entre centrais e confederações, também ocupou boa parte do encontro.

A análise corrente foi a de que o País vive uma tragédia social, por meio do desmantelamento de direitos sociais e trabalhistas, e que a reforma trabalhista veio apenas para diminuir custos para as empresas. Neste cenário adverso, foi apontada a necessidade de o movimento sindical avaliar erros e corrigi-los, para acumular força para as lutas nos mais diversos cenários.

“Precisamos juntar as energias boas de cada um para fazermos a boa luta, fazer o trabalho limpo, sincero, honesto e transparente na defesa do trabalhador”, resumiu João Nadir Pires, no encerramento do Congresso. “Há muito para fazer”.

O Presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST) e da CNTI, José Calixto Ramos fez um desabafo: “É hora da unidade, não importam partidos ou religiões, precisamos ampliar o trabalho de base nos sindicatos. Vimos que todos os poderes estão contra nós, enfraquecendo o sindicalismo e a própria democracia. Querem nos tirar os anéis para em seguida nos tirar os dedos, é necessário mobilização e forças para que nossa voz seja ouvida por deputados e senadores no Congresso Nacional”.

 

 

Participaram do Congresso centenas de sindicalistas de todo País

Participaram do Congresso centenas de sindicalistas de todo País

 

Delegação do RS no Congresso

Delegação do RS no Congresso

 

Debates sobre direitos trabalhistas e previdenciários

Debates sobre direitos trabalhistas e previdenciários

 

João Pires coordenou congresso e foi eleito Secretário Geral da Depavest

João Pires coordenou congresso e foi eleito Secretário Geral da Depavest

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *